Racionalidade deve permear o uso da tecnologia

Dos carros autônomos à desigualdade social, inovações nos transportes podem ajudar ou atrapalhar; só depende das pessoas

“A tecnologia é a cereja do bolo, não o bolo em si”, comparou Timothy Papandreou, Fundador e CEO da Emerging Transport Advisors, ainda no início do Summit Mobilidade Urbana 2019. Antes de mais nada, diz ele, as cidades precisam se preocupar em melhorar a infraestrutura urbana, abrindo espaços específicos para veículos autônomos, bicicletas e patinetes elétricos. Se essa estrutura for bem implementada, a tecnologia se encaixa naturalmente.

“Os veículos autônomos não vão oferecer benefícios ou perdas por si só. São as políticas da cidade que vão determinar se a tecnologia vai trazer benefícios ou problemas. Se a cidade disser ‘vamos deixar nossas ruas exatamente como estão’ e não mudar nada, quando a nova tecnologia chegar, teremos exatamente o que temos hoje: uma grande bagunça.”

Futuro. Tecnologia precisa ser aliada na mobilidade
Foto: Werther Santana/Estadão

Segundo ele, a solução passa pela aproximação entre os setores público e privado. A inovação costuma vir de dentro das empresas e universidades, e seria papel do governo abrir mais espaço para essas ideias. “Não significa liberar tudo”, adverte o especialista. “Há alguns limites, mas é preciso testar. Se não der certo, o governo e as empresas podem pensar juntos como melhorar.”

A implementação de tecnologias para a mobilidade foi um tema que permeou as discussões durante todo o evento.

Leia o conteúdo completo aqui

Leave a Comment